Pesquisar este blog

domingo, 29 de agosto de 2010

Aniversário do Conto-Gotas

Hoje este espaço está em festa, completando seu primeiro aniversário. Convido você a ler meu primeiro conto postado (aqui) e a comer um pedaço de bolo com o blogue (agradeço ao site "Recados online.com" a imagem).
Nessa "data querida", constato, ainda, que meu empenho ficcional, poético (Poema Vivo) e de meus comentários sobre textos literários (Literatura em vida 2) atingiu seu objetivo, junto a meu público leitor, como se constata nas palavras tão pródigas de Graça Lacerda, em seu blogue ANJO DE PRATA (visite-o por aqui). Agradeço o carinho, oferecendo a ela a amizade e este meu conto comemorativo.

Parábola

Eliane F.C.Lima

De vassoura na mão, começou a limpar aquele galpão enorme, cujo fim nem se via, muito novo ainda, não se lembrava desde quando. E ia varrendo, em todos os lugares, às vezes quase nada, às vezes muito lixo acumulado, que ia empurrando para a frente, crescendo sempre o que sua vassoura tinha de conduzir.
Seu impulso era seguir naquela tarefa. Em algumas ocasiões, queria desistir, quase parava, quase desanimava. Em outras, tão envolvido estava em seu trabalho, que não via o tempo passar. Em poucas, pouquíssimas, na verdade, sentia entusiasmo e alegria por ir adiante.
Mas a empreitada foi se tornando cada vez mais penosa. Agora já tinha enorme dificuldade para tocar em frente sua vassoura e o lixo que levava.
Até que um dia, viu, finalmente, o portão. Não era largo, bem ao contrário. Não condizia bem com a grandeza e altura daquele pavilhão. Quando foi se aproximando, ele se entreabriu sozinho.
O homem se preparou para empurrar o tanto de lixo que trouxera naquele caminhar difícil e poder passar, por fim, para fora.
No entanto parou e voltou-se para trás, imaginando que, pelo tempo que tinha levado, o princípio, lá tão longe, deveria estar sujo de novo. E apertando os olhos já bem cansados e míopes, pensou ouvir, talvez, um ruído de outra vassoura, e ver uma pessoa miudinha – acaso uma criancinha? – varrendo azafamada.

5 comentários:

Marise Ribeiro disse...

Querida amiga, um ano de conto-gotas é um oceano de excelentes textos ondeando em marés cheias de sensibilidade. Muitos naufragam no meio da travessia, mas você segue singrando o melhor da literatura.
A criança azafamada trocou a vassoura pelo timão virtual e conquista o mundo.
Felizes nós, que embarcamos nesta viagem descobrindo tesouros e enriquecendo nosso espírito.
Parabéns e sucesso, sempre!
Beijos, Marise

Graça disse...

MInha amiga querida!

Que honra ter esse seu conto republicado aqui oferecido a minha modesta pessoa...obrigada!
Quero comentar seu conto, porém vou relê-lo e logo em seguida retorno.

Por enquanto, muita alegria e saúde ao seu Conto-gotas, que ele prospere feliz nessa caminhada literária!!

Amiga, estou emocionada, pois não esperava essa delicadeza, pela qual agradeço de coração.

Um grande abraço, minha linda.

Lórah Claus disse...

Olá minha querida.. nesta data tão especial venho lhe parabenizar, pois é difícil encontrar algo que complete um ano sem perder por nenhum momento a grandeza, e mesmo acompanhando a tão pouco tempo seu blog já pude perceber quão grandioso ele é.. Parabéns mais uma vez

Márcia Vilarinho disse...

Que esse primeiro ano seja fonte de luz a jorrar intermitantemente sobre a seara literária e que alcance muitos e tantos, que crescidos serão por tudo que você nos acresce. Parabéns e sucesso sempre. Bjs.

ju rigoni disse...

Eliane, minha querida amiga, prepare-se para muitos aniversários. Que de conto-gota em conto-gota você tem feito um mar, - em que seus leitores navegam sempre no prazer da melhor leitura.

Bjs, mais uma vez, parabéns! E inté!